Category Archives: Geral

O sinal

No espaço entre os carros interrompidos sob o semáforo, ou no interior dos passageiros o vermelho sinalizado, retumba a vida moderna com os coágulos do pretérito; porque independe ao homem livre tais leis

Andar (des)acompanhado

Se ao andar acompanhado dos rostos desconhecidos, na rua dos Linhares, enxergo a vivência mais diversa possível, é porque ali, talvez como em qualquer outra rua, haja a variedade das solidões, vestidas

Doce veneno

Um doce veneno saliva-me de gota em gota, Nas manhãs úmidas em que precipita o tempo A injetar-me no crânio pingos de desespero, Com os quais fabrico o antídoto da escolha Em

Promíscuo

Tive muitas vezes este pensamento: se ando já desapercebido entre as pessoas, nos restaurantes ou nas ruas, não é porque essencialmente me tornei um deles, mas porque aprendi a vestir demasiado bem

Os ossos quebrados

Havia dentro de mim a sensação de sentimentos quebrados como se meus ossos estivessem assim. Tal qual uma faca houvesse sido cravada no fêmur direito. Eu mancava, na direção dela, arrastando a

Véspera de Natal

Logo que demos a receita de um suco de couve com batatas cruas, a ser tomado todos os dias, pela manhã, para que lhe fossem aliviadas as dores de estômago, a mulher

XC – Soneto dos noventa dias

Sempre que estive morto, ao abrir os olhos, O precipício era o que me trazia esperança, À desaparecer todos os pesados desconsolos Que faziam cruzar as mãos de sua lembrança. Um mundo

O serviço

Notei, mesmo perdido na contagem das folhas à minha frente, o tom melódico de sua voz, ao passo que falava de seus filhos. E pensei como nunca sentiria aquela doçura materna. Aquele

Prenda-me se for capaz

Houve este dia em especial, tão ordinário quanto os outros, ao passo que as paisagens eram deixadas para trás como sempre o são, em que percebi as prisões como impossíveis de serem

O passageiro inumerável

O funcionário da empresa viária tinha um olhar apagado, como a cor de sua gravata. Pediu-me o documento, verificou-o rapidamente, limpando o suor da testa e acrescentou: — Tenha uma boa viagem,

A inocência impossível

Se era impossível a inocência, por que havia ainda o provimento do erro em tantas faces que queriam inversamente sorrir? D. não entendia, ao passo que muitos seguiam os ensinamentos dos sábios,

Eu não existo

Assim como está árvore, que está à minha frente, não faria diferença alguma se um raio caísse sobre ela, ou sobre minha cabeça. Como seria indiferente se, no século XVI, uma câimbra

Sobre a ignorância miserável e a ignorância preguiçosa

Nenhum indivíduo deve ser culpado pelas condições em que nasce. As circunstâncias pelas quais vem à luz lhe são externas, incontroláveis até que se cubra, como um véu a verdadeira face, sua

Mal do Meu Século

Fora eu aos secos e molhados e solicitei: — Vendam-me um revólver e uma agulha… Atirei então em meu coração e sangrei. Desejava ver quanto sangue ele expurga, Pela ruptura da bala

Vapor confinado

Não existem quaisquer sinais nas paredes atrás do fogão. Enquanto o acendo, numa das bocas cuidadosamente coloco uma panela com água. A única sinalização, principiada a fervura da água, é aquela trazida

A grande fuga

Lembro-me de ter acordado e sentir-me como se ainda estivesse dormindo. Porque estava tudo muito escuro. Era como se as pálpebras se me pesassem insuportáveis. E não podendo abri-las, não havia a

Duas vezes

Não quero me apaixonar, Porque vi pássaros voando no céu. Eles voavam em círculos, Como se dominassem meu ar; Estipulavam-me ruidoso escarcéu, Atando-me belos, penosos vínculos. Não quero me apaixonar, Porque pássaros

Através do vidro

Não faria diferença alguma se fosse agora, amanhã, daqui dois anos ou cinco décadas. Porque hoje, ao ver através do vidro semi-embaçado, posso olhar para o céu pálido e fazê-lo viver ou sepultá-lo

Arquitetura dos elementos

Em suma cumplicidade ao vento, A areia tão só perfaz sua direção; Grão após grão, violenta, A pequenas pacientes rajadas, Em ameaça inútil aos meus olhos, Que irritam-se se eu os coço;

Vozes

Quantas e quantas vezes atirar-me foi preciso, dentro dos meus abismos, para despertar-me da ilusão da queda. Porque como uma criança que a tudo deslumbra, porém deixa que seus pais lhe coloquem a

A ocupação

  Não se preocupem, pois escancarei as portas férreas dos hospitais a todos. Não se preocupem, porque do mesmo modo, passando acima dos homens seus códigos, fi-lo também trancafiar as autoridades com

O caminho

Criaram esses caminhos perfeitos, nada pedregosos, em que todas as pedras foram removidas para os que andam no traçado retilíneo da humanidade. Nestes percursos, as curvas nunca são acentuadas de modo que

Tarde repulsiva

À medida que ela se distanciava, o sol iluminava placidamente seus fios de cabelo raivosos (por que ela jamais os ajeitava quando estava entristecida). Ele a observava cabisbaixo, distante alguns metros, ao

O devorador de livros

Nem duas batidas na porta, e lá se vai alguém entrando. Porque assim o são com um filho as ocasiões de visita à casa dos pais, depois de crescido, emancipado e até

Servir-me fui, quando sentei, você não estava mais

  Vi-lhe num susto, assim, de abrupto, E na obra de arte fiz-lhe analogia; Como um entusiasta que a tela admira Sabendo que ali eterno é o segundo. Mas diante do quadro

Tédio com T

  São nestas sextas-feiras falidas, de chuva caída, Que se ainda entedia quem ao tédio imune diz ser. Queria então era sair à rua; ir ao freezer Da loja da esquina, apanhar

Fiat Lux

Sendo, para o homem contido e inerte em sua sociedade, confraria, clã, comunidade, ou organismo — como se queira chamar um palito de fósforo numa caixa de outros milhares de palitos similares,

Ensaio sobre a exclusão

Um indigente repousa ao lado de sua garrafa plástica de aguardente, conforme se anunciam, da aurora, radiosos fios luminosos do céu desumano. À distância, ele se parece como o mais sujo item

Colina abaixo

Juntem, todos, o que lhes cabe numa mochila, e me sigam colina abaixo — comigo ou não; Despreocupados com o que possam encontrar, ou que ou a quem as perguntas fazer, respostas

Mapa-múndi

Mantenho, ao lado da janela aberta de madeira, já pelo tempo incansável apodrecida em seus cantos, um gigantesco mapa-múndi, apregoado à parede de cor indistinta. Desse modo, sempre que deposito meus olhos

Folhas ao vento (Leaves in the wind)

  Voe com o vento, na direção Em que as leis não podem direcionar, Porque a minha autoridade Em pensar que o que eu desejo, No meu sonho que ao seu lado

O ciclo do eterno sucesso

Sr. Foster era um homem de sucesso. Na garagem, entre seus dois carros — um deles o caríssimo, porém estimável, último presente de aniversário de sua mulher –, repousava um modelo off

Transformando erros em ouro

Afundo os pés na areia fria, e antes que a onda mais próxima os aprofunde ainda mais, cruzo os dedos das mãos. Não executo reza alguma, no entanto. Neste gesto intenciono o

Da morte do indivíduo, para o nascimento da sociedade

Estive pesquisando entre meus semelhantes, para verificar se, de fato, há semelhanças entre nós, de modo que nos coloquem em mesmas categorias e definições. Logo percebi, dado este propósito, a imediata e

Por quem os corações dobram?

Meu coração não está fechado para balanço. Nem aberto como se despede o inverno para que venham falsas primaveras. Meu coração é simplesmente o mundo. Desse modo, ao andar pelas ruas da

Amor fati

Há a impossibilidade de muitos saberes ao decair da noite: em não saber quais pedaços deles ir-me-ei desfazer, não da carne, mas do espírito, ao adormecer em travesseiro de incontáveis carneiros mortos.

Biologia erra

Você, escárnio imperfeito de maturidade tardia é a morte precoce do meu coração altivo e vivo; Sua mediocre sina se espelha não em seu reflexo mas no tropeço do lago de Adonis

Paredes frágeis

As decadências se refugiam nos quartos. Enxergo atrás do concreto, esse desespero que quer abraçar; se reunir nos fins de semana, e lembrar que na decorrência do cotidiano, encerradas as segundas e

A vida é minha metáfora

Dissemino na escrita minhas epidemias. Morrer por palavras é superior a falecer pela mudez da não expressão. Os amores que tive, e não pude cativá-los, são meu troféu enferrujado pelo sentimento. Buscava

A verdadeira Monalisa

Se a imagem impõe-se como o mais belo desafio de quem a descreve, vi-me na condição de explorar o perfeccionismo das palavras. Sem aquarelas, pincel, quadro e tela, ainda assim pinta-se seu