Category Archives: Ensaio

Andar (des)acompanhado

Se ao andar acompanhado dos rostos desconhecidos, na rua dos Linhares, enxergo a vivência mais diversa possível, é porque ali, talvez como em qualquer outra rua, haja a variedade das solidões, vestidas

Promíscuo

Tive muitas vezes este pensamento: se ando já desapercebido entre as pessoas, nos restaurantes ou nas ruas, não é porque essencialmente me tornei um deles, mas porque aprendi a vestir demasiado bem

Os ossos quebrados

Havia dentro de mim a sensação de sentimentos quebrados como se meus ossos estivessem assim. Tal qual uma faca houvesse sido cravada no fêmur direito. Eu mancava, na direção dela, arrastando a

Véspera de Natal

Logo que demos a receita de um suco de couve com batatas cruas, a ser tomado todos os dias, pela manhã, para que lhe fossem aliviadas as dores de estômago, a mulher

O serviço

Notei, mesmo perdido na contagem das folhas à minha frente, o tom melódico de sua voz, ao passo que falava de seus filhos. E pensei como nunca sentiria aquela doçura materna. Aquele

Prenda-me se for capaz

Houve este dia em especial, tão ordinário quanto os outros, ao passo que as paisagens eram deixadas para trás como sempre o são, em que percebi as prisões como impossíveis de serem

Eu não existo

Assim como está árvore, que está à minha frente, não faria diferença alguma se um raio caísse sobre ela, ou sobre minha cabeça. Como seria indiferente se, no século XVI, uma câimbra

Sobre a ignorância miserável e a ignorância preguiçosa

Nenhum indivíduo deve ser culpado pelas condições em que nasce. As circunstâncias pelas quais vem à luz lhe são externas, incontroláveis até que se cubra, como um véu a verdadeira face, sua

De olhos cerrados

Na última vez que conversei com Fernando Pessoa, uma de suas pessoas enlouqueceu-me brandamente. E logo esqueci-me do que lia, interrompendo o passear dos olhos pelas linhas retilíneas; eis que voltaram-se-me para dentro

Vozes

Quantas e quantas vezes atirar-me foi preciso, dentro dos meus abismos, para despertar-me da ilusão da queda. Porque como uma criança que a tudo deslumbra, porém deixa que seus pais lhe coloquem a

O caminho

Criaram esses caminhos perfeitos, nada pedregosos, em que todas as pedras foram removidas para os que andam no traçado retilíneo da humanidade. Nestes percursos, as curvas nunca são acentuadas de modo que

Fiat Lux

Sendo, para o homem contido e inerte em sua sociedade, confraria, clã, comunidade, ou organismo — como se queira chamar um palito de fósforo numa caixa de outros milhares de palitos similares,

Ensaio sobre a exclusão

Um indigente repousa ao lado de sua garrafa plástica de aguardente, conforme se anunciam, da aurora, radiosos fios luminosos do céu desumano. À distância, ele se parece como o mais sujo item

Da morte do indivíduo, para o nascimento da sociedade

Estive pesquisando entre meus semelhantes, para verificar se, de fato, há semelhanças entre nós, de modo que nos coloquem em mesmas categorias e definições. Logo percebi, dado este propósito, a imediata e

Paredes frágeis

As decadências se refugiam nos quartos. Enxergo atrás do concreto, esse desespero que quer abraçar; se reunir nos fins de semana, e lembrar que na decorrência do cotidiano, encerradas as segundas e

O que não ensinam nos bancos da escola

  A cabeça humana será sempre uma convulsão de sentimentos e percepções; explico-me. As drogas a ela trazidas — esqueça-se aqui a classificação moral do que deve ou não ser colocado em