Poema pintado

picasso

A única consciência que não pesa
é aquela que não vive;

O anteparo do quadro retratado
seria a musa sempre presente
ao pintor que ainda não faleceu?

A concepção de tudo soa até
como uma oração; ora, e eu aqui
tão só desejando não definir,
mas nisto já orando…

Quando o seu querer se tornar
o meu, isto não é quem não sou?

Ou seja, quantos quadros cientes
e conscientes eu próprio pintei?
E quantas musas inventei?

Autor: Lucas Vinícius da Rosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *