Pelo que somos todos réus

Estávamos dançando todos
em volta do fogo que arde
até que ficamos absortos
pelo anúncio doutra morte

Boquiabertos, estupefatos
demo-nos conta outra vez
que a chama tem apagos,
e a vida não é tão cortez

Outra batalha, e outra reza
outra vela e o mesmo pavio
a queimar esta humana cera

Tentamos fugir deste aviso,
e cometemos então perjúrio
perante o fim, juiz impune!

Autor: Lucas Vinícius da Rosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.