O sinal

Semaforo

No espaço entre os carros interrompidos sob o semáforo,
ou no interior dos passageiros o vermelho sinalizado,
retumba a vida moderna com os coágulos do pretérito;
porque independe ao homem livre tais leis aborrecidas
com que se lavam os dentes do sorriso da gente aflita;

Se entorpecido pelo fenômeno de ser parte da máquina,
estorva-lhe no peito o mais violento dos dessabores,
ter suas papilas salientadas pelo fel deste progresso
com que se amargam bandeiras, hinos e malfeitores;
vitalícia eis a interrupção sob a sinaleira da massa.

Autor: Lucas Vinícius da Rosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *