Nasce mais um papel em branco

Mais uma criança acaba de nascer
mal viu a luz do dia e já chorou;
é o pranto do primeiro alvorecer
do cordão umbilical que se cortou

Beberá ela leites ou tragédias?
quantos seios haverá no caminho
do percurso árido da existência?
escreve-se então o pergaminho…

…do amor e ódio da humanidade
pela qual perderá sua virgindade
ela poderá, depois, odiar ou amar

Assim, faz-se uma humana torcida:
que ela ame o verão sem se queimar
e odeie o inverno até se congelar.

Autor: Lucas Vinícius da Rosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.