Category Archives: Armindo Guerra Jr.

Tão seu

Um olhar, um sorriso, um jeito irreverência delicada, um feito seu, tão seu, sempre seu… quem dera, a mim fosse destinado tudo que é seu quem dera, menos distância talvez, menos ignorância

Atemporal

Em ti, percebo uma junção melancólica de passado e futuro; poderias, por exemplo, ser inspiração para escribas egípcios cautelosos com suas penas e, sobretudo, com seus papiros poderias, todavia, ser o aprendizado

Diria eu

Que sacrilégio trouxe teu olhar sobre mim? sonhei com as nuvens, céu azul imenso e acordei na chuva, trovoadas ao relento por demais efêmero foi esse momento beatificamos juntos a contradição olhares

O que não tenho

Ofereço-te meus dedos pois, após tocarem pétalas sensibilidade neles há sinceridade também, talvez Ofereço-te a cor dos olhos pois, brilhantes ficaram deparando-se contigo felizes foram, talvez Ofereço-te o que não tenho se

Um ano e 10 mil agradecimentos…

Em março de 2013 o nosso amigo Palavreado.com.br completa um ano de sua simples existência. Quando inciamos, tínhamos o anseio de expor nossos desabafos, amparados pelos pilares bem estabelecidos da literatura. Essa

Aquele de memória curta

Bateu-se o martelo, veredicto dado o pobre coitado foi condenado, fato! nem lhe deram chance de defender-se sociedade cruel, ou cruéis advogados? Na cadeira do réu, o povo, assolado na mesa do

E assim vai…

Enquanto guardas minha dignidade no bolso sinto o beijo da noite em minha testa seria sim uma festa, não fosse o que perdi correndo descalço na rua, quase me esqueci das flores

Barão de uma terra qualquer

Hoje te vi princesa de olhos verdes muito embora eu não seja permissivo, permito-me render aos teus encantos tamanha expressão brote de sua realeza Por ti, torno-me monarca de sangue azul Um

Quântica é mato

Alguns dias atrás entrei no ônibus para ir ao dentista. O dia estava lindo, quase nenhuma nuvem no céu. Tudo encaminhava-se muitíssimo bem, até eu sentar ao lado de um moça, que

A tua vida

Ninguém verá você chorar então abandona-te em força toma teu fardo e fica em pé em posição de quem vence Não quero saber dos teus medos nem desvendar teus segredos já tenho

Recorrente

Ao fim do sonho fica a saudade como é triste voltar a realidade novamente noto-me só e na garganta aquele mesmo nó O que fizemos de errado? quando mesmo a deixei de

Aspecto da vida

Não tenho mais medo do escuro nem mais acordo sentindo cheiro de café eu sei… já há muito fui criança entretanto, receios permanecem em pé Deve-se enfrentar a vida com coragem nunca

Paul, Paul, Paul…

Êxtase talvez seja a palavra. Como é possível um ser humano, como qualquer outro, concentrar tanta energia de vida? Ao som de Hey Jude pude notar, como bem observado por um amigo,

A despedida do sol

O sol despedia-se mergulhando no horizonte. Era possível ver seus raios avermelhados acomodando-se sobre o mar. No rosto, já trabalhado pelo tempo, sentia a carícia de um vento nordeste, trazendo em seu

Sobre o tempo

Quais são as consequências do saudosismo? reflexão, identidade, herança, verdade sinto-me como que ao saltar de um abismo deverias, de fato ter medo da saudade? quão calorosa será a recepção do futuro?